floresta do saber logo

Escolas

A Floresta do Saber disponibiliza várias atividades práticas na floresta e no laboratório, especialmente vocacionadas para a comunidade escolar e que complementam os atuais programas curriculares.

Visitas Guiadas Quinta de S. Francisco

Público-alvo: Toda a comunidade.

Descrição: Visitas guiadas por um dos cinco percursos pedestres circulares da Quinta de S. Francisco. Neste espaço florestal com 14 hectares, podem ser observados diversos habitats florestais e encontradas mais de 400 espécies de flora nativa e exótica, dos quatro cantos do mundo, incluindo centenas de árvores centenárias, das mais altas do país. Associada a esta riqueza florística, existe também uma elevada diversidade animal, particularmente avifauna, que pode ser observada.

Duração: 60-120 minutos (dependendo do percurso)

Calendarização: Todos os dias úteis, mediante marcação prévia

Objectivo: Sensibilizar a sociedade para a importância da floresta, como fonte de serviços e recursos ecológicos e económicos. Salientar-se-á as semelhanças e diferenças entre as florestas naturais e as florestas de produção e a necessidade de ambas. Alertar para a conservação da biodiversidade e contribuir para a distinção entre espécies nativas, exóticas e invasoras. Permitir a exploração dos habitats da floresta – desde o solo até à copa mais alta. Mostra de tipos de folhas, árvores de folhas caducas e persistentes, tipos de cascas e cheiros das plantas e observação de características das plantas (flores e tipos de frutos, ciclos de vida). Mostrar como se mede uma árvore, como as árvores ajudam a criar e manter o solo. Referência obrigatória à história da Quinta de S. Francisco, a Jaime de Magalhães Lima, ilustre aveirense criador do inestimável património aqui presente e ao RAIZ - Instituto de Investigação da Floresta e Papel.

Visitas Guiadas Aos Viveiros Aliança

Público-alvo: 1.º, 2.º e 3.º CEB e Secundário

Descrição: Visita guiada a um dos maiores viveiros florestais da Europa, com uma área de 20 hectares. Esta unidade de produção, está equipada com tecnologia avançada e inovadora, contribuindo para a produção de mais de 8 milhões de plantas clonais de eucaliptoEm Espirra, é igualmente produzida uma grande diversidade de outras espécies florestais e ornamentais. Cerca de 40% das plantas produzidas neste viveiro, destinam-se à florestação das áreas detidas pela The Navigator Company e a restante quantidade é vendida ao mercado.

Duração: 60 a 90 minutos

Calendarização: Atividade decorre em simultâneo com a atividade “Aprendendo cultivando na Floresta – clonagem no viveiro”. Encontra-se limitada a grupos pequenos, até 15 pessoas. Apenas mediante marcação prévia e confirmação de disponibilidade por parte dos Viveiros Aliança.

Objectivo: Dar a conhecer o “berço da floresta”. Destacar o processo de produção de plantas mais utilizado no viveiro de Espirra – a propagação vegetativa através de estaca ou miniestaca. O visitante terá a oportunidade em participar nesta fantástica experiência, com a produção e plantação de uma estaca. Pode ainda conhecer o parque de pés mãe, espaço onde estão instaladas as plantas produtoras de rebentos, com origem de clones selecionados; as casas de sombra e, por fim, a oportunidade em conhecer a área da Miniestacaria.

Contos Para A Sustentabilidade

Público-alvo: Educação Pré-escolar, 1.º, 2.º e 3.º CEB

Descrição: Leitura de contos didáticos sobre a floresta em ambiente florestal. A leitura dos contos será feita nos bancos históricos que Jaime de Magalhães Lima espalhou pela Quinta de S. Francisco e à sombra de árvores monumentais, com mais de 100 anos de idade. As histórias serão escolhidas de acordo com escalão etário de cada grupo a partir de livros recomendados pelo Plano Nacional de Leitura, com temas sobre a floresta e a sustentabilidade, seguidas de perguntas simples sobre a história e que significado pode ter no mundo real.

Duração: Até 60 minutos.

Calendarização: Atividade limitada a grupos pequenos, até 25 pessoas. Todos os dias úteis, dependendo das condições meteorológicas e mediante marcação prévia

Objectivo: Promover os hábitos de leitura, curiosidade e a interpretação de histórias. Sensibilizar a comunidade para a importância da floresta como fonte de serviços não tangíveis, de ordem paisagística, espiritual, histórico-culturais, assim como serviços recreativos e de bem-estar. Despertar nos mais novos o imaginário e a criatividade relacionado com as florestas, as quais são fonte de muitas histórias, mitos e lendas, que povoam o imaginário humano, promovendo igualmente o gosto pela escrita.

Jogo “Dá A Mão À Floresta”

Público-alvo: Educação Pré-escolar, 1.º, 2.º e 3.º CEB

Descrição: Jogo didático, de sorte e saber sobre a floresta, tipo jogo da glória em que os peões são as crianças. Possui dois níveis de dificuldade e questões de resposta múltipla. Apropriado para ser jogado por equipas. Normalmente é uma atividade associada aos Percursos Botânicos da Quinta de S. Francisco, permitindo uma consolidação dos conhecimentos adquiridos, mas que pode ser usado isoladamente. O jogo aborda questões sobre a floresta portuguesa, biodiversidade e cultura geral.

Duração: 90 minutos

Calendarização: Todos os dias úteis, mediante marcação prévia

Objectivo: Permitir aprender mais sobre as florestas de uma forma descontraída e lúdica. Sensibilizar a comunidade para a importância da floresta, conservação do ambiente e biodiversidade. Incentivar o espírito competitivo em equipa e o saber sobre as florestas.

Plantar Uma Árvore – Plantar O Futuro!

Público-alvo: Toda a comunidade.

Descrição: Plantio de árvores e arbustos florestais contribuindo para a reflorestação da Quinta de S. Francisco.

Duração: 120 minutos

Calendarização: Atividade realizada no Dia Internacional da Floresta e Dia Mundial da Árvore (disponível apenas nas 4 semanas centradas no dia 21 de Março). Dependente das condições meteorológicas e sempre mediante agendamento e marcação prévia.

Objectivo: Promover o contacto com a natureza e a terra. Mostrar como se planta uma árvore ou arbusto. Falar das espécies plantadas, com o objetivo de espicaçar a curiosidade dos jovens pela floresta, botânica e utilidade das plantas. Sensibilizar a comunidade para a importância da floresta e da reflorestação.

Peddy Paper Da Quinta De S. Francisco

Público-alvo: Toda a comunidade.

Descrição: Peddy Paper em equipas, que permite a descoberta da Quinta de S. Francisco, abordando questões sobre os locais observados, história, espécies existentes, floresta e cultura geral. No início do jogo são entregues as perguntas, com um mapa e restantes materiais do Peddy Paper. Para além das respostas certas, o tempo também é um fator de desempate em caso de igualdade pontual.

Duração: 120 minutos

Calendarização: Atividade apenas disponível para grupos, para ser jogada em equipas. Todos os dias úteis, mediante marcação prévia.

Objectivo: Sensibilizar os visitantes para a importância da floresta, de uma forma prática e competitiva. Permitindo a descoberta de alguns exemplares monumentais e espaços singulares da Quinta de S. Francisco. Contribuir para que as novas gerações possam ter experiências enriquecedoras num ambiente florestal biodiverso e fiquem a conhecer a história deste local e de Jaime de Magalhães Lima.

Birdwatching Na Quinta De S. Francisco

Público-alvo: Toda a comunidade.

Descrição: A Quinta de S. Francisco é muito rica em avifauna, tendo sido aqui observadas e inventariadas pelo menos 69 espécies de aves. Esta atividade permite a observação de aves em ambiente florestal, ao longo de três habitats distintos, bosque caducifólio, vegetação ripícola e eucaliptal centenário. Atividade a decorrer no percurso 2 da Quinta de S. Francisco, ao longo do passadiço marginal à vala e junto dos tanques e lago da mesma. Durante esta atividade é recomendado o uso de roupas de cores discretas e silencio quase absoluto.

Duração: 60 minutos

Calendarização: Atividade limitada a grupos pequenos, até 15 pessoas, durante a primavera e verão, mediante marcação prévia

Objectivo: Proporcionar o contacto com natureza, em diferentes habitats florestais e permitir o conhecimento de diferentes espécies de avifauna características da área. Sensibilizar os visitantes para a importância da floresta, como fonte verdadeiramente tridimensional de habitats. Permitir a identificação de aves comuns através da observação (visual e binocular) e do som, com o auxílio de guias e panfletos dedicados. Constatar a importância dos cursos de água e os bosques ripícolas como fontes de refúgio para a biodiversidade. A observação de aves para além ser uma atividade agradável, permite a recolha de dados científicos, sendo hoje considerada como uma importante ferramenta de educação ambiental.

Vamos Fazer Um Herbário

Público-alvo: Educação Pré-escolar, 1.º, 2.º e 3.º CEB

Descrição: Visita ao Herbário da Quinta de S. Francisco. Explicação da função desta coleção, no sentido de documentar a diversidade biológica e genética vegetal da Quinta, funcionando simultaneamente como uma coleção histórica de espécies vegetais preservadas e corretamente identificadas taxonomicamente. Nesta atividade, os visitantes mais novos farão a colheita em campo de exemplares herbáceos com elementos que permitam a sua correta identificação (flores, folhas e frutos) e iniciarão o processo de secagem e herborização. Em grupo darão início à construção de um mini-herbário em laboratório.

Duração: 120 minutos

Calendarização: To Atividade limitada a grupos pequenos, até 25 pessoas. Todos os dias úteis, dependendo das condições meteorológicas e mediante marcação prévia

Objectivo: Promover o gosto pelas atividades ao ar-livre, natureza, biodiversidade e particularmente pela botânica. Contribuir para o conhecimento da diversidade vegetal existente na região. Compreender a necessidade da existência de coleções biológicas. Permitir a criação de um herbário pessoal.

As Plantas Do Passado

Público-alvo: Toda a comunidade.

Descrição: Observação de alguns fósseis de plantas em laboratório e comparação com plantas existentes atualmente. Nesta atividade, os visitantes mais novos ficarão a conhecer, quais foram as primeiras florestas do planeta e que características que tornam bem-sucedidos os grupos de plantas atuais.

Duração: 60 minutos

Calendarização: Atividade limitada a grupos pequenos, até 25 pessoas. Todos os dias úteis, mediante marcação prévia

Objectivo: Promover o gosto pelas atividades laboratoriais. Compreender que os seres vivos têm origem em seres do passado. Perceber a evolução das plantas e das florestas. Contribuir para o conhecimento da diversidade vegetal existente atualmente.

O Papel Ao Microscópio

Público-alvo: Toda a comunidade.

Descrição: Nesta atividade será possível observar a estrutura microscópica das fibras de folhosas, resinosas e outras plantas, bem como pasta e papel. Serão também mostradas fibras virgens e refinadas e a sua implicação nos produtos derivados das mesmas. Salientar-se-á as diferenças entre fibras de diferentes espécies.

Duração: Até 60 minutos.

Calendarização: Atividade limitada a grupos pequenos, até 25 pessoas. Todos os dias úteis, mediante marcação prévia.

Objectivo: Mostrar o processo e aspetos técnicos associados à produção de papel. Permitir o contacto com a observação microscópica (hands on) de diferentes células vegetais. Observação de diferentes produtos produzidos com as diferentes fibras.

Anatomia De Uma Folha

Público-alvo: Toda a comunidade escolar, mas mais indicada para os mais jovens

Descrição: Nesta atividade será possível observar cortes de folhas de diferentes espécies florestais, nomeadamente, eucaliptos, pinheiros e carvalhos. A observação desta estrutura será relacionada com a produtividade de cada espécie e habitat. Também serão observados os estomas, que permitem as trocas gasosas, essenciais ao processo fotossintético.

Duração: 60 minutos

Calendarização: Atividade limitada a grupos pequenos, até 25 pessoas. Todos os dias úteis, mediante marcação prévia

Objectivo: Mostrar semelhanças e diferenças entre as principais espécies florestais em Portugal. Salientado os diferentes requisitos ecológicos e produtividade primária de cada uma. Permitir o contacto com a observação microscópica (hands on) de diferentes células vegetais.

Estruturas Dos Caules Das Árvores

Público-alvo: Toda a comunidade.

Descrição: Nesta atividade será possível observar cortes de caules de diferentes espécies florestais, nomeadamente, eucaliptos, pinheiros e carvalhos. A observação desta estrutura será relacionada com a produtividade de cada espécie e tipo de células que os compõem. Será discutido o transporte de água e nutrientes ao longo do caule de uma árvore.

Duração: 60 minutos

Calendarização: Atividade limitada a grupos pequenos, até 25 pessoas. Todos os dias úteis, mediante marcação prévia.

Objectivo: Mostrar semelhanças e diferenças entre as principais espécies florestais em Portugal. Evidenciar características evolutivas e diferentes requisitos ecológicos de cada espécie. Destacar como as diferentes estruturas estão relacionadas com o habitat e produtividade primária de cada uma. Permitir o contacto com a observação microscópica (hands on) de diferentes tecidos e células vegetais.

A Biodiversidade Escondida

Público-alvo: Toda a comunidade escolar, mas mais indicada para os mais jovens

Descrição: A floresta não é apenas um conjunto de árvores, começa no solo e ajuda a criar e manter um delicado mundo debaixo das suas copas. Nesta atividade vamos observar em laboratório o microcosmos escondido no solo. Serão abordados também os processos de formação e conservação dos solos pelas florestas.

Duração: 60 minutos

Calendarização: Calendarização: Atividade limitada a grupos pequenos, até 25 pessoas. Todos os dias úteis, mediante marcação prévia.

Objectivo: Mostrar que os solos são ricos em vida microscópica. Compreender a importância das florestas para os solos e vice-versa. Permitir o contacto com a observação microscópica (hands on).

A Cor Das Plantas

Público-alvo: 1.º, 2.º, 3.º CEB e Secundário

Descrição: Atividade laboratorial de extração de clorofilas a partir de folhas. Será realçada a importância da clorofila para a fotossíntese e manutenção da vida no planeta. Nesta atividade haverá foco na produtividade primária e na relação trófica do Sol-Plantas-Animais

Duração: 90 minutos

Calendarização: Atividade limitada a grupos pequenos, até 25 pessoas. Todos os dias úteis, mediante marcação prévia.

Objectivo: Perceber porque as plantas são maioritariamente verdes. Compreender a relação entre a existência da clorofila e a absorção de energia solar, como uma relação fundamental para a vida na Terra. Permitir o contacto um procedimento experimental e material de laboratório. Compreender a utilização pelo Homem de alguns desses compostos.

O Cheiro Das Plantas

Público-alvo: 1.º, 2.º, 3.º CEB e Secundário

Descrição: Atividade de observação de materiais e experiências sensoriais da floresta. Mostra de diferentes folhas da floresta e os respetivos cheiros. Extração de óleos essências de folhas de várias espécies florestais. Serão abordadas as funções biológicas, a importância económica e a utilidade destes compostos para o Homem.

Duração: 90 minutos

Calendarização: Atividade limitada a grupos pequenos, até 25 pessoas. Todos os dias úteis, mediante marcação prévia.

Objectivo: Identificar cheiros e odores das espécies florestais e compreender por que razão as plantas tem substâncias aromáticas. Associar diferentes odores a diferentes espécies florestais. Permitir o contacto um procedimento experimental e material de laboratório. Compreender a utilização pelo Homem de alguns desses compostos.

Vamos Reciclar o Papel

Público-alvo: Educação Pré-escolar, 1.º, 2.º e 3.º CEB

Descrição: Atividade que permite recriar a reciclagem de papel. A partir de papéis velhos é produzida uma nova folha de papel. São abordados as vantagens e desvantagens do processo, a vida útil de uma fibra e o número de ciclos de reciclagem.

Duração: 90 minutos

Calendarização: Atividade limitada a grupos pequenos, até 25 pessoas. Todos os dias úteis, mediante marcação prévia.

Objectivo: Compreender a necessidade e as limitações da reciclagem de papel. Perceber os passos básicos do processo de reciclagem. Evidenciar a necessidade de introduzir fibra virgem no processo. Permitir o contacto um procedimento experimental e material de laboratório.

Diferentes Madeiras Diferentes Propriedades

Público-alvo: Toda a comunidade, mas mais indicada para os mais jovens.

Descrição: Atividade laboratorial que permite a observação e manipulação de diferentes tipos de madeira de espécies florestais (folhosas e resinosas). Esta atividade usará alguns dos recursos da Xiloteca da Quinta de S. Francisco. Serão abordados experimentalmente conceitos como densidade, propriedades físicas e químicas da madeira e respetivos usos pelo Homem.

Duração: 60 minutos

Calendarização: Atividade limitada a grupos pequenos, até 25 pessoas. Todos os dias úteis, mediante marcação prévia.

Objectivo: Observar diferentes tipos de madeira. Compreender que diferentes espécies apresentam propriedades distintas que permitem diferentes aplicações humanas. Ficar a conhecer os diferentes componentes da madeira. Permitir a demonstração experimental de conceitos mais abstratos.

Aprendendo Cultivando na Floresta – Sementeiras em Laboratório

Público-alvo: Educação Pré-escolar, 1.º, 2.º e 3.º CEB

Descrição: Atividade de plantio e sementeiras de plantas florestais. O que é a semente? Como conservamos as sementes? Como germinam? Que fatores influenciam esse processo? Como é possível os maiores seres do mundo terem origem em sementes tão pequenas? Estas são algumas das perguntas que vamos responder com esta atividade que decorrerá em laboratório.

Duração: 60 minutos

Calendarização: Atividade limitada a grupos pequenos, até 25 pessoas. Todos os dias úteis, mediante marcação prévia.

Objectivo: Compreender o modo de reprodução e propagação das espécies florestais. Verificar desenvolvimento das plântulas ao longo do tempo. Valorizar o contacto com o mundo natural, com a terra e sementes variadas através de atividades experimentais. Promover o cultivo de plantas como um hobby saudável e sustentável.

Controlo de pragas florestais

Público-alvo: Toda a comunidade.

Descrição: Nesta atividade vai ser possível observar um dos locais de investigação do RAIZ - Instituto de Investigação da Floresta e do Papel, com uma visita à bio-fábrica do RAIZ onde são estudados meios naturais de combate às pragas florestais.

Duração: 30 minutos

Calendarização: Atividade limitada a grupos pequenos, até 15 pessoas, mediante marcação prévia.

Objectivo: Mostrar atividade científica do RAIZ. Compreender que a floresta possui doenças e inimigos naturais. Evidenciar formas de combate mais ecológicas, sem recurso a pesticidas.

Escolha uma das nossas atividades e venha conhecer a Floresta do Saber pessoalmente.

Horário:

9:00-18:00, todos os dias, exceto feriados e fins de semana.

 

 

Todas as marcações serão tratadas por ordem de chegada e estão sujeitas a confirmação através do email ou telefone providenciado pelos nosso visitantes. Em algumas situações relacionadas com a saúde e segurança de todos, como a pandemia Covid -19, as visitas poderão ser adiadas para data posterior a combinar.
Contacte-nos já para ficar a saber mais.










    *Campos de preenchimento obrigatório